A avaliação de imóveis é necessária para diversos tipos de situações, pois define exatamente qual é o valor de um imóvel perante o mercado imobiliário no local onde ele está inserido. Esse documento é um Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica, que pode ser elaborado por um Corretor de Imóveis, ou um Laudo Técnico de Avaliação de Imóvel, feito por Engenheiros e Arquitetos.

Neles, são colocados todos os detalhes que fizeram o profissional chegar ao valor do imóvel, como a análise da área externa e interna, as pesquisas de imóveis similares da região, entre outros pontos.

Na Sterzeck Imóveis você encontra Corretores de Imóveis inscritos no Conselho Regional de Corretores de Imóveis, no Cadastro Nacional de Avaliadores de Imóveis e no Conselho Regional de Administração habilitados perante o Tribunal de Justiça para atuar como Peritos e Assistentes Técnicos em ações e causas, assim como para realizar avaliações não-judiciais. Temos também ótimas indicações de Engenheiros e Arquitetos para elaboração de Laudos Técnicos, assim como participar de ações como Peritos e Assistentes Técnicos.

Qual a diferença entre um Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica e um Laudo Técnico de Avaliação de Imóvel?

O Parecer, que é elaborado por Corretores de Imóveis, é uma avaliação comparativa de dados de mercado, ou seja, compara o seu imóvel com outros similares e faz uma avaliação do valor de venda ou locação considerando o mercado atual para aquela região, então é um documento bastante utilizado por bancos, instituições financeiras, proprietários interessados em comercializar o imóvel e pela justiça, dependendo do tipo de causa. O Laudo, elaborado por Engenheiros e Arquitetos, é um documento técnico que pode utilizar de outros métodos para avaliar o imóvel, de maneira a se descobrir um eventual custo de reedição do imóvel, assim como outros usos específicos, sendo que é bastante utilizado por seguradoras e pela justiça, dependendo do tipo de causa.

Em quais situações são necessárias a avaliação de imóvel?

O Parecer e o Laudo são utilizados por instituições e pela Justiça em diversas ocasiões ou mesmo para conhecimento próprio do valor.

Quando uma pessoa compra um imóvel e vai financiar com a instituição financeira é realizada a avaliação de imóvel para que o banco tenha certeza de que aquele terreno, casa ou apartamento está em boas condições e para ter convicção de quanto vale o imóvel.

As seguradoras, quando vão avaliar um imóvel para definição do prêmio do seguro, precisam saber qual é o custo de reedição daquele imóvel caso ele sofra algum tipo de sinistro.

Já a Justiça utiliza a avaliação profissional para situações como heranças, divórcios, renovatórias de aluguéis e outras ações, por exemplo. Ou seja, quando há divergência sobre qual é o verdadeiro valor daquele patrimônio.

Existe uma metodologia técnica?

Sim. Para a avaliação judicial de imóvel, o profissional usa as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e de seu conselho profissional.

Como é feita essa vistoria?

Na vistoria, o avaliador verifica se o imóvel faz parte de algum tipo de conjunto (prédios, conjuntos comerciais) e então avalia tanto as áreas privativas quanto as áreas comuns, verificando o estado de conservação, a vizinhança e a documentação do imóvel.

No entanto, dos critérios citados, o que exige maior atenção do profissional responsável pela avaliação de imóveis é o estado de conservação. Embora os imóveis mais novos, geralmente, estejam com a manutenção em dia, ainda assim é feita a inspeção. Para os imóveis mais antigos, a perícia é ainda mais minuciosa, pois o imóvel já sofreu mais desgaste natural.

Quais são as vantagens de realizar a avaliação?

Embora não seja uma tarefa fácil, existem diversas vantagens em se realizar a avaliação de imóvel. Vejamos algumas delas!

Poder de negociação

Muitos compradores não entendem o real valor de um imóvel. Quando visitam a residência, fazem uma avaliação baseada em critérios pessoais e estipulam um preço que na maioria das vezes não condiz com a realidade. Diante disso, o proprietário pode ficar confuso e abaixar ou aumentar muito o preço da moradia.

Isso não acontece quando o dono tem em mãos o documento de avaliação de imóveis. Afinal, esse é um atestado idôneo de um profissional que examinou cuidadosamente cada aspecto da moradia. Sendo assim, o proprietário tem o poder de negociação e não fica nas “garras de especulações”.

Valor patrimonial

Por que é importante saber o valor do seu patrimônio mesmo quando não tem interesse em vendê-lo? Esse conhecimento ajuda na confecção de documentos de herança e na descrição do imóvel para o pagamento de impostos, como o de renda.

Além disso, é possível entender como uma valorização impacta no valor real da moradia. Com base nisso, o preço da locação pode ser reajustado. Por outro lado, caso o imóvel seja atrelado a um fundo imobiliário, essas variações de valores refletirão nos rendimentos do proprietário e dos cotistas.

Adequação às legislações

Muitos dos tributos pagos pelos imóveis são baseados no seu preço de venda. Um exemplo é o imposto predial e territorial urbano (IPTU). Quando o proprietário não conhece o valor real do imóvel, o órgão que fiscaliza esse tributo fornece um preço médio aproximado que nem sempre corresponde à realidade.

A mesma situação pode acontecer com o imposto de transmissão de bens imóveis (ITBI) e a escritura. Sendo assim, essa incoerência pode acarretar multas para o proprietário quando for realizar algum negócio com o imóvel. Além é claro, de comprometer a credibilidade do dono da moradia.

Contratação de seguro

O valor da apólice de um seguro patrimonial é baseado no preço real da moradia. Sem um documento comprobatório, o proprietário fica refém do valor estipulado pela seguradora. Imagine o prejuízo de pagar prestações mais elevadas sem necessidade.

Por outro lado, ter o documento de avaliação de imóveis facilita a aquisição de um seguro. Pois, a seguradora percebe a organização e a seriedade do proprietário. E sabendo das condições internas e externas da moradia, será oferecido um pacote de serviço que atenda às necessidades do imóvel.

Garantia para a aquisição de outro bem

Seja para a compra de outro bem, conseguir um financiamento ou realizar outros tipos de negócios, ter uma avaliação precisa e feita por um profissional é muito importante. No caso de um financiamento, as instituições pedem comprovantes de que o interessado tem uma renda ou patrimônio como garantia do pagamento da dívida.

Muitas vezes, é indispensável a aquisição desse tipo de crédito para investir em um novo imóvel para no futuro receber uma renda extra para a família. Por isso, o documento de avaliação será a chave para essa conquista.

Tire suas dúvidas